segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Um carnaval diferente
  (Autora: Lívia Fagundes Neves) Carolina é uma menina que tem nove anos e mora no Rio de Janeiro.Ela adora estudar e brincar com seus amigos depois da escola. Sua brincadeira favorita é “escolinha” e ela gosta sempre de imaginar que é a professora. Certo dia, após a aula, quando Carolina ia ao encontro de suas amigas para brincar, sua mãe lhe chamou para arrumar as malas: elas iriam viajar e aproveitar o carnaval de 2005 na praia. Carol, como era chamada, ficou animada, deixaria de brincar com suas colegas, mas, no dia seguinte, iria para a praia encontrar com sua prima Filó, também de nove anos, de quem ela tanto gostava. No dia seguinte, após uma longa noite de espera e ansiedade, Carol e sua mãe acordaram bem cedo, tomaram café e pegaram a estrada. Elas estavam radiantes! Aquele seria um ótimo carnaval! Após uma breve viagem, as duas chegaram à cidade desejada! A praia estava linda! Mas... Não tinha ninguém aproveitando aquela maravilha. As duas se olharam e acharam muito estranho aquilo! O dia estava ótimo e já era carnaval. Deveria ter um monte de gente pulando na rua e aproveitando o dia. Apesar da frustração, as duas continuaram seguindo até a casa da prima. No caminho, também não viram sinal de alguém. Carol olhou o relógio, já passavam das 14 horas e onde estariam todos? Chegando à casa de Filó, tocaram a campainha! A mãe de Filó, chamada Rita, após quase dez minutos, atendeu a porta. E para a surpresa de Carol, Rita muito abatida! Parecia doente, tinha olheiras e estava com febre. As visitantes, muito assustadas, perguntaram o que estava acontecendo e Rita respondeu que metade da cidade havia acordado doente naquela manhã, domingo de carnaval, parecia com uma gripe muito forte. A prima Filó nem conseguiu sair da cama. As duas não sabiam o que fazer, pensou em voltar para a sua cidade, mas ficaram com pena de seus parentes e resolveram ficar para ajudar. Acabaram passando o resto do carnaval cuidando das pessoas daquela casa. Na quarta-feira de cinzas todos já estavam melhores... Assim como quase toda a população daquela cidadezinha praiana. Haviam sido medicados e descoberto que um vírus muito forte foi o causador daquele estrago. Naquela tarde de quarta-feira Carol e sua mãe foram voltaram para casa, esperaram tanto por aquele carnaval na praia e nem podiam imaginar que seriam tão úteis ajudando seus parentes a melhorassem daquela doença. Partiram mas prometeram a Rita, a Filó e a si mesmas que o próximo carnaval seria diferente! Elas iriam fazer muita folia e pular bastante, ao som de um bom samba!

Nenhum comentário:

Postar um comentário